sexta-feira, 15 de julho de 2011

Resenha - Saikyou Densetsu Kurosawa

Saikyou Densetsu Kurosawa
Autor: Nobuyuki Fukumoto
Gênero: Drama, Comédia, Slice-of-Life
Período de publicação: 2003-2006
Serialização: Big Comic Original (Shogakukan)
Número de Volumes: 11

Muitos torçem o nariz para os mangás (e consequentemente, suas adaptações animadas) de Nobuyuki Fukumoto por causa do visual rude de seus personagens. Suas obras são verdadeiros exemplos do antigo ditado "Nunca julgue um livro pela capa". Fukumoto é famoso por seus mangás sobre jogos de azar (os excelentes Kaiji, Akagi, Ten e outros) e também pelo seu denso aprofundamento psicológico em seus personagens. O mangá de que falarei hoje é um belo exemplo disso, conheçam agora "Saikyou Densetsu Kurosawa" (Conhecido também como "The Legend of the Strongest Man - Kurosawa")





Kurosawa tem 44 anos e vive uma vida vazia de aflição, tristeza e solidão. Ele nunca se casou, teve filhos ou levou uma vida feliz tendo afeto das pessoas à sua volta como a maioria dos homens de sua idade. Ele se sente um ponto minúsculo em meio a vários outros pontos maiores no mundo, é difícil não sentir pena ou compaixão dele. Ele trabalha como operário em uma construtora (algo que muitos japoneses sem muito sucesso na vida fazem), e em meio a tantos jovens em seu ambiente de trabalho, ele se sente "ofuscado" no local. Devido a sua falta de convivência com outras pessoas, Kurosawa é muito atrapalhado, e assusta os outros, é o típico caso de sujeito "Não vê muito, mas quando vê, se lambuza".

Na construtora, há um trabalhador muito popular, que é o Akamatsu. Simpático, cativante e de bem com a vida, todos o tomam como um ídolo no trabalho. Kurosawa, ao ver toda a admiração que seus colegas de trabalho têm por Akamatsu, resolve tentar fazer agrados a todos para ser notado, só que suas tentativas falham inúmeras vezes. Kurosawa nota que para ser popular, você tem que ralar muito para chegar lá.

Até que um dia, após uma jornada inteira de trabalho, Kurosawa é abordado por uma garota de aparência Jovem. O pobre Kurosawa, que é carente de atenção, pensa que finalmente alguém se importa com ele, e resolve seguí-la, até que descobre que ela estava junto de um estranho grupo de Jovens arruaceiros que o colocam dentro de um carro e o levam para um terreno baldio abandonado, onde lá o espancam, o roubam e ainda o fazem passar por dolorosos momentos de pura humilhação. Após esse incidente, Kurosawa percebe que já passou da hora de tomar alguma atitude se quiser mudar de vida para ser "O Homem Mais forte do Mundo, Kurosawa". E é a partir daqui que a história do mangá se desenrola.





Uma característica notável nas obras de Nobuyuki Fukumoto é o denso aprofundamento psicológico que ele usa para explorar as mentes de seus personagens, com SDK não é diferente. Aqui ele aborda um dos sentimentos mais temidos pelo ser humano, a solidão. O pobre Kurosawa só quer que as pessoas notem a sua existência e o valorizem. Há vezes a tristeza exagerada de Kurosawa pode irritar o leitor, mas também há muitos momentos nesse mangá que são muito profundos e envolventes (principalmente o final da história, que me conseguiu me arrancar lágrimas, mas não vou contá-lo aqui, fiquem tranquilos).

 
A arte do mangá é típica de algo do Fukumoto. Bem rude e com personagens com faces quadradas, se você já leu (ou assistiu) Kaiji ou Akagi, sabe muito bem o que vai encontrar aqui. Kurosawa é um brutamontes que é bem sensível, o jeito que Fukumoto o desenhou combinou com sua personalidade triste e solitária.

A trama possui em algumas partes, um desenrolar um pouco lento, que pode incomodar alguns, há capítulos com bem pouco texto (mas que fazem bom uso do ditado "Uma imagem vale mais que mil palavras"), mas também há capítulos repletos de bastante texto e com muita expressividade através deles. Há até algumas cenas de brigas de rua, lutas, que chegam a ser bem divertidas e até engraçadas de se ler, mas cenas de briga certamente não são o ponto forte do autor (Cuja maior parte de suas obras usa como plano de fundo o submundo dos jogos de azar).





 Conclusão:
Saikyou Densetsu Kurosawa é um excelente mangá. Um pouco diferente do que estamos acostumados a ver o autor fazer, este é um de seus trabalhos mais expressivos e traz uma grande mensagem: Para ser alguém na vida, basta correr atrás de seus sonhos, pois a vida não dá mole pra ninguém. Se você procura um ótimo mangá de Drama e bem profundo, SDK é um excelente achado. Leia até o final, pois os momentos finais desse mangá, já fazem a obra toda valer a pena e vão te emocionar.






Onde Encontrar:
Em japonês, as raws podem ser baixadas no vnsharing . Em inglês, a série foi traduzida com o excelente trabalho do scanlator de um homem só, o Hox (que possui outros ótimos projetos, como Oyasumi Punpun e Sangokushi), mas como seu antigo site está fora do ar, dá pra baixar as scans no Mangatrader lê-las em algum leitor online como o Mangafox ou o Mangareader.


Espero que tenham gostado da minha análise sobre Saikyou Densetsu Kurosawa. Obrigado por ler, e por favor, comente.

12 comentários:

  1. No meu caso é o contrário, um estilo desses me atrai demais! uhaahha!
    deve ser mto fera esse mangá, tomara q de certo de trazer pra nós

    ResponderExcluir
  2. "Se você procura um ótimo mangá de Drama e bem profundo"

    Alguem me chamou?
    Com certeza essa arte assusta um pouco, mas pelo jeito é uma mangá que vale a pena ler.
    Lerei!

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente foi dos mangas que menos me interessei a ler dos que já falaste aqui no blog, mesmo assim se é do mesmo autor de Kaiji deve ser muito bom. Além de que se fosse para apostar acredito que iria gostar de ler o manga.

    Igual ao Max, com esse estilo faria com que pelo menos lê-se o primeiro capítulo, porque o que já estou farto é daqueles personagens padrões dos mangas shounen.

    ResponderExcluir
  4. estou com o pessoal aí. o estilo do traço do fukumoto é o que mais me chama atenção. já estava pensando em ler, não só kurosawa, mas todos os mangás do fukumoto que foram traduzidos e sua análise me empolgou mais ainda. kaiji é um dos personagens mais legais que existe. =')

    ResponderExcluir
  5. @Max Andrade (PAAF)
    Kurosawa está nos meus planos de tradução em breve. Pretendo fazê-lo algum dia.

    @Dark-Fenix
    Ei fiquei meio receoso ao ler a sinopse do mangá pela primeira vez, mas resolvi arriscar a leitura. No começo eu gostei do mangá, mas confesso que demorou um pouco (2 volumes) para começar a me impressionar de verdade. Mas no geral, Kurosawa vale a pena.

    @O Pato
    Eu acho que esse estilo é a grande marca registrada do Fukumoto. Ele é um dos meus mangakás favoritos (junto de Kazuo Umezu, Go Nagai e Kyousuke Usuta), gosto muito das histórias dele e admiro principalmente o jeito que ele explora as mentes dos personagens.

    ResponderExcluir
  6. Parabens pela resenha, Kurosawa eh realmente um manga muito bom. Lembro que quase dropei ele por achar um tanto "melodramatico" demais, mas depois da briga com os delinquentes o manga melhora muito, e o final eh sensacional. Esse eu recomendo.

    ResponderExcluir
  7. tem uns dois caras traduzindo o SDK aqui nesses site
    http://zawafansub.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Terminei de ler o mangá hoje. Fantástico. Vale a pena ler até o fim: verdadeira lição de vida.

    ResponderExcluir
  9. Acabei de ler e estou chorando litros, virou uma de minhas obras favoritas.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir